Me and My Big Ideas

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012


E já estava "tudo acertado" para meu pai vender a casa por R$ 300.000,00 , separar da minha mãe e ir morar em Recife. Ela receberia R$ 150.000,00 para comprar uma casa nova e viver em paz.
Mas eu e minha boca grande resolvemos estragar tudo sem querer...


Os vizinhos da rua já haviam comentado com minha mãe que meu pai tinha vendido a casa por R$ 500.000,00 e não por R$ 300.000,00 como ele havia dito. Aí outro vizinho, "Seu Coriolano", resolveu aparecer aqui em casa ontem pela manhã e falar com minha mãe: "Vendeu a casa por R$ 500.000,00! Que boa venda!" (Ou algo parecido que minha mãe falou...). De noite resolvi comentar com meu pai e disse "Seu Coriolano veio aqui e falou que o senhor vendeu a casa por R$ 500.000,00".
Aí o homem surtou!! Disse que estavam desconfiando dele, que todo mundo queria vê-lo morto no chão! Mas que ele não iria morrer ali, mas muito longe! E que não ia mais vender a casa e ir embora com a escritura.
Pronto. Cabou-se...


Hoje pela manhã foi outro drama... Disse que tem rachaduras "de um dedo" no muro do quintal por causa da construção de um shopping no quarterão. "O muro vai cair e vocês que vão ter que cuidar, porque já paguei as contas desse mês e não vou estar mais aqui no mês que vem! Vocês querem me ver morto!!". E começou a chorar...


Minhas sobrinhas chegaram de Caicó, RN, e foram falar com ele. Eis que Bianca, a mais velha, volta dizendo que ele "tá lá passando mal". Fui ver e tava chorando. Disse que tava desde as três horas da manhã sem dormir. E mais drama...
Ok. Vim trabalhar.
Agora as observações:


- Meu pai é o Rei do Drama. Se ele ia vender por 300 ou 500, não sei de verdade, mas eu não queria ver minha mãe posando de otária, com os vizinhos comentando que a casa foi vendida por 500, e ela receber só 150, sendo que ela tem direito a metade do valor.
- A cena de choro não acredito nem um pouco! Ele fez isso porque estava com "platéia" (minhas sobrinhas!).
- Disse que não ia vender mais porque não queria entrar em desavenças com "a praga" (nome que ele utiliza para mencionar minha mãe).
- Ele costuma dizer que minha mãe "tem DNA do pai dela, que é doido e tinha alucinações vendo a esposa dele (minha avó) numa moto com o amante". Pois bem, esse meu avô "doido" é o mais são da família, pois quando "chegou a hora certa", se mudou de mala e cuia para um asilo e vive lá até hoje, em paz com Deus e a família. Pense num doido inteligente! Quero ser assim quando for mais velho...
- Perguntei a minha mãe se eu agi certo em ter falado sobre os comentários dos vizinhos ou se deveria ter ficado calado. Ela disse que eu deveria ter ficado calado... :-(


É.
Estraguei tudo mesmo.


Mas o que foi que estraguei mesmo? Diz aí...


p.s.: Esses videos aí em baixo são os videos que estavam passando na MTV hoje pela manhã, antes da cena de choro... Vai ficar marcado na minha memória... Ou não...

Read more...

Foo Fighters - Walk

Read more...

The Strokes - Under Cover Of Darkness

Read more...

The Kills - Satellite

Read more...

Arcade Fire - The Suburbs [Legendado/Music Video]

Read more...

Encontra-se Susan Desesperadamente

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Recentemente revi um filme "clássico"dos anos 80 chamado "Procura-se Susan Desesperadamente".
Na época que foi lançado (1985) o filme foi visto apenas como um veículo para promover a cantora Madonna que estava em início da carreira musical e também flertava com o cinema. Fez um relativo sucesso no cinema e virou cult para os fãs da cantora. A trama do filme falava de uma mulher, Roberta, que infeliz no casamento, passa a vigiar a vida de uma tal de Susan que ela conhece através de anúncios pessoais nos classificados de jornais. "Psicologicamente falando" (não sou psicólogo, por isso as aspas!), a Roberta vê em Susan a mulher que ela queria ser: solteira, aventureira, apaixonada por alguém legal mas "livre para voar"... Roberta queria ser (ter?) Susan.
Passados mais de 20 anos, o tempo (grande sábio esse tal de "Tempo"!) mostrou que o filme continua mais atual do que nunca. E enquanto eu assistia ao filme, o tempo todo imaginava como seria uma refilmagem atualizada. Poderia ser o filme perfeito para o século XXI.

Segue uma "idéia para uma sinopse":

Obs.: Vou situar minha sinopse no Brasil, porque é um lugar mais familiar, né? :-P

Roberta é uma mulher bem casada, "nova rica", que freqüenta boas festas com o marido, e por viver nesse meio sabe que tudo não passa de encenação. Glamour de bijuterias, penteados de apliques e chapinhas, corpos perfeitos de lipoaspiração, silicones e botox. Um mundo de mentiras. Por mais absurdo que possa parecer, para Roberta o mundo real é o virtual. Perfis em quase todas as redes sociais na internet, ela faz amigos virtuais que lhe parecem mais reais. Twitter, Facebook, Google+... Ela posta o que pensa e o que sente em tempo real. A vida de nova rica tem suas vantagens: Notebooks, Smartphones, Tablets. Sempre online all the time!
Ela tem centenas de "amigos", mas uma em especial sempre lhe chama a atenção: Susan, que sempre posta fotos de suas andanças pelo mundo. Londres, Paris, New York, Amsterdam, Tokyo, Pequim e até no Nepal. E umas poucas fotos no Brasil.
Roberta sabia bem o que fazia. Ela era uma Stalker. Vivia para pesquisar a vida alheia através das redes sociais, mas fixou-se em Susan por parecer mais legal, e porque sua intuição assim "mandava".
Certa vez ela vê um comentário de Susan no perfil do namorado. Ato falho de Susan, que poderia ter mandado a mensagem por e-mail ou de outra forma mais segura. Roberta leu: "Estarei em São Paulo no próximo sábado. Encontre-me na praça próximo a casa da Tia Sandra. Bjos!"
Sem saber onde fica a casa da Tia Sandra, Roberta vai até o encontro guiando-se pelo Forsquare do namorado de Susan que avisou onde ele estava, mas sem saber que Susan tá sendo seguida pela Polícia e por amigos barra pesada do seu namorado. A vida de Susan não é exatamente aquela que aparece em suas fotos e mensagens. Roberta nem imagina o que vai acontecer... And so on...
Na versão original do filme, Roberta e Susan se desencontram várias vezes por causa de um cara que quer pegar uma jóia de Susan que também não a pertence. Em certo momento, Susan chega até a casa de Roberta e tem acesso até ao diário íntimo de Roberta (Veja o filme!!!) .Elas só se encontram no "final feliz". Na minha versão, Susan tem acesso ao Notebook de Roberta, que já tem acesso liberado a TODAS as redes sociais dela. Nem beijo de língua ou sexo oral seria mais íntimo que isso!

Segue aqui o meu "diálogo final":
~~~~

- Mas afinal, o que você quer de mim, garota? Vigia a minha vida, examina minhas fotos, reencaminha meus textos, mas não diz nenhum "bom dia" ou "Oi". Qual é a tua?

- Desculpa... Eu... Só queria te conhecer... Minha vida parece tão... Vazia...

- Você é rica! Eu vi onde você mora. Conheci seu esposo. Será que como dizem por aí ‘dinheiro não traz felicidade’? Isso é uma grande bobagem, você sabe disso. ‘Felicidade’ independe de dinheiro, luxo, jóias, glamour!

- Suas fotos são retocadas...

- Quê? Do que você está falando?

- Eu estava com seu smartphone, esqueceu? Vi algumas de suas fotos recentes. Não tinha os retoques de Photoshop. Algumas tem fundo branco ou outra cor uniforme...

- ...que contraste com as minhas roupas e possa fazer uma montagem legal, como encaixar um cenário de cidade famosa ao fundo.

- Então... Suas viagens...

- Algumas são reais. Outras não. Na maioria delas eu viajei, mas não tinha tempo para sair e bater fotos em pontos turísticos e... Ah, droga... A quem eu quero enganar? (Susan se senta ao lado de Roberta, que está sentada num banco de praça). Nunca fiz viagens ao exterior... A não ser que conte atravessar a Ponte da Amizade para comprar coisas no Paraguai como viagem ao exterior.

- Então... Suas viagens, suas fotos, são tudo uma farsa?

- São desejos. Quero um dia viajar para todos esses lugares e torná-los reais. Não é isso que você quer também?

- Irônico, não acha? Procurei uma vida diferente na internet e encontrei alguém igual a mim. (silêncio. Passados alguns minutos de reflexão, Roberta fala com firmeza na voz)

- Vamos viajar juntas! Quero conhecer Paris. Vamos?

- Mal nos conhecemos... (Roberta se levanta e continua firme)

- Cansei da vida artificial. Quero conhecer o mundo. Você quer também e precisamos de companhia. Uma da outra. Falo inglês e francês. Dinheiro não será problema. Vamos fazer as malas agora?

- ......... Você é meio maluca, né?

- Aproveite esse meu momento de insanidade. Não sei quando terei outro. (Susan começa a ri.)

- Maluca mesmo. Vamos, né? Paris é linda nessa época do ano... É o que dizem os catálogos das agências de turismo.

~~~~

Observações finais:

01.: Não era a intenção terminar como se fosse “Thelma & Louise Reloaded”, mas...
02.: Roberta na minha versão foi muito “impulsiva e exata” no final e acredito que ela já poderia ter sido assim desde o início. Ela não precisava mesmo ficar seguindo Susan. Na versão original também. Mas afinal, o que move essa personagem? “Pense e responda no caderno de respostas! ;-)”
03.: Roberta, sua danadinha, porque foi mesmo que resolveu botar um par de chifres no seu marido, hem? Adultério é crime, viu? Vai ser apedrejada na rua! Tá na Bíblia! E... Hem? O que? Essa lei bíblica não vale mais? E qual a lei da Bíblia que tá valendo? ...Ah... Tá. Só a parte contra os homossexuais. Ok.
04.: Título provisório: "Encontra-se Susan Facilmente Nas Redes Sociais".

Read more...

Dias de Organização!

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Dica boa para os feriados: FAXINA!!


Dica boa para o fim de semana: DESCANSO DA FAXINA!!

Eu já estava querendo organizar umas coisas nas minhas estantes cheias de caixas e minha mãe deu a dica: "Aproveite o feriado para limpar essas caixas que só você sabe como limpá-las".

Certo... a faxineira quando vem aqui no meu quarto mal toca nas minhas estantes porque sou muito chato com isso. Quero tudo organizado do meu jeito. Então, nada melhor do que eu mesmo fazê-lo!

Vou deixar o computador ligado só tocando meus MP3 como se fosse uma rádio virtual (para por a fila na ordem também!), e vamos ao trabalho! :-)

Bom dia!

Read more...

A Frustração do Domingo (e do redator!)

domingo, 19 de setembro de 2010

O domingo deveria ser o melhor dia da semana, né?
Tempo todo livre, nada para fazer, só descansar. Mas aí depende de cada um o que fazer com o seu tempo livre.
Pra mim bom mesmo é o sábado.
Ah, quer saber?
Não sei mais o que fazer com esse espaço.
Pra que um blog quando se não tem assunto do que falar ou pra quem falar?
Bela merda, hem?
Começo um texto pensando numa coisa e termino em outra.
Frustração não é o domingo, é minha total inaptidão para redação...
Filosofar? Não obrigado.
Falar mal dos outros? Passo!
Então... Sei lá.
Acho que vou fechar essa bagaça!
Tchau procês! (por enquanto! Mas quem sabe eu retorne pra falar nada? ;-)

Read more...

Promessa 'Comprida'

domingo, 1 de agosto de 2010

E prometi a mim mesmo que a partir desta segunda-feira iria acordar as 05:30h para não chegar atrasado ao trabalho, como acontece quase todos os dias...

E ainda estou aqui. Com sono, mas não largo o vício de ficar na frente desse PC. Fazendo o que? Escutando música, colhendo, arando, plantando, twittando.
Mas vou ter que reformar minha vida mesmo.
Por ordem na bagunça e cumprir minhas promessas.
Não sou político, mas ultimamente não consigo realizar minhas promessas. Melhor parar de prometer, né?
E mais: para que manter um blog que nem o autor visita? E manter um Twitter? Como faz?? Tem horas que a criatividade se esgota mesmo!!
Essas coisas são para quem tem a arte de dominar o texto. Não sou de tantas palavras assim...
Bem. Hora de cuidar da vida.
Dormir. Que amanhã é dia de preto!!
Bye!

Read more...

Dicionário: Rotina

quarta-feira, 2 de junho de 2010

ro.ti.na
sf (fr routine) 1 Caminho habitualmente seguido ou trilhado; caminho já sabido. 2 Hábito de fazer as coisas sempre da mesma maneira, maquinal ou inconscientemente, pela prática, imitação; desídia etc. 3 Hábito inveterado que se opõe a inovações ou progresso. 4 Feitio e espírito conservador. 5 Relutância contra o que é novo. 6 Costume antigo. 7 Uso geral. R. de alocação, Inform: pequeno programa que divide os recursos de memória de um sistema entre o programa e os periféricos que o utilizam.

Tenho rotina para o trabalho, mas não tenho para minha vida.
Preciso de uma, para me organizar.
Não tenho hora para dormir, só para acordar.
Não tenho hora para ler um livro, e eles estão encalhando na minha estante.
Não tenho hora para ver um filme, e eles estão pedindo minha atenção.
A rotina é um bem necessário! Improviso só funciona em programas de comédia.

Read more...

Sobre este blog

Assuntos diversos para qualquer tempo...
Chuva? Sol? Tempestade?
Whatever...

Seguidores

  © Blogger template Cumulus by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP